Login/Cadastrar



Olá bem vindo ao Refúgio! Para favoritar lugares, comentar, programar viagens, criar roteiros e muito mais... Primeiramente, você precisa CRIAR um usuário e escolher por onde deseja logar, se é através de senha do site ou através do google / facebook (sem senha). Depois é só CONFIRMAR O E-MAIL enviado para você para liberar o acesso e logar da forma preferida. Boa viagem!!!

Conheça Jundiaí - SP

Comece agora a programar sua viagem!

Onde Visitar em Jundiaí
Não sabe o que fazer em Jundiaí? Selecionamos os melhores pontos turísticos para você e sua família conhecer e aproveitar a cidade. Cachoeiras, Trilhas, Praias, Parques, Shoppings, Teatros e muito mais... Clique Aqui e Saiba o Que Fazer em Jundiaí
Onde Ficar em Jundiaí
Desejamos que você tenha a melhor experiência na sua hospedagem em Jundiaí. Escolha aqui seu hotel, resort, spa, pousada, hostel ou camping no Interior de SP. Clique Aqui e Saiba Onde Ficar em Jundiaí
Onde Comer em Jundiaí
Sabemos que a maioria dos hotéis servem apenas o café da manhã, pensando nisso selecionamos os melhores restaurantes em em Jundiaí. Escolha os melhores restaurantes, pizzarias e bares no interior de SP e Capital. Clique Aqui e Saiba Onde Comer em Jundiaí
Utilidades e Emergências em Jundiaí
Um dos pontos a serem levados em conta ao planeJar uma viagem, são os endereços emergenciais, afinal nunca sabemos o que se pode acontecer. O Refúgio preparou uma lista dos principais endereços que você terá em um clique em caso de emergência em uma viagem. em Jundiaí. Clique Aqui e Confira Endereços e Telefones
Jundiaí

Foto:Prefeitura Municipal de Jundiaí



Comece a Programar sua Próxima Viagem para a Capital, Litoral ou Interior de SP !

E aí viajante? Procurando um guia completo para explorar Jundiaí?! Agora você encontrou! A nossa equipe separou diversas dicas da encantadora Cidade da Terra da Uva! Seja você um morador da região em busca de novas experiências e lugares diferentes para conhecer ou um visitante novo e ansioso para explorar o que esta cidade vibrante tem a oferecer, aqui é o seu passaporte para descobrir os encantos de Jundiaí. A cidade reúne o charme do interior com a modernidade de uma cidade grande, acredita?!

De pontos turísticos fascinantes a restaurantes que agradam a todos os paladares, passando por opções de hospedagem que combinam conforto e hospitalidade, elaboramos uma jornada única e completa por esta joia do interior paulista. Vamos juntos, eu e você, descobrir o melhor de Jundiaí, todos os points, barzinhos, lugares para passear e pra um bom lanche! Vamos explorar os tesouros que tornam essa cidade tão especial!

Com um índice de desenvolvimento elevado e um próspero turismo rural, Jundiaí destaca-se como um dos melhores lugares para se residir no Estado de São Paulo, fazendo parte, também, do renomado Circuito das Frutas. Além de ser amplamente reconhecida por seus renomados festivais de uva e morango, Jundiaí oferece uma experiência muito além. Seus caminhos rurais proporcionam aos visitantes a oportunidade de vivenciar o cotidiano no campo, explorar os costumes locais e degustar frutas frescas diretamente das árvores.

Essas atrações são enriquecidas pela presença de diversas vinícolas artesanais na região, acrescentando um toque especial à forte influência cultural italiana! E não querendo torcer pra algum time, mas nossa equipe já teve a oportunidade de visitar Jundiaí pessoalmente, a afirmamooos, vale muito o passeio! Recomendamos até separar mais de 1 ou 2 dias, a cidade vale a pena ser explorada com calma.

Conheça a cidade de Jundiaí - SP:

Jundiaí, localizada no interior do estado de São Paulo, é uma cidade que encanta por sua história rica, belezas naturais e desenvolvimento econômico, inclusive a cidade é conhecida por seu polo industrial fortíssimo, com muitas grandes empresas na região. Logo abaixo, exploraremos os pontos turísticos, a cultura local e as oportunidades que fazem de Jundiaí um destino único. Se você está planejando uma viagem ou pensando em se mudar (até nossa equipe já pensou em se mudar pra Jundiaí), continue lendo para descobrir por que Jundiaí é tão especial.

Economia e Oportunidades:

Jundiaí destaca-se economicamente como um dos principais polos industriais e logísticos do estado de São Paulo. Sua localização estratégica, próxima à capital, favorece o desenvolvimento de empresas dos mais variados setores. A cidade também possui um comércio vibrante e uma oferta diversificada de serviços. Ou seja, é ótima pra empresas.

Oportunidades de Emprego:

Com uma economia dinâmica, Jundiaí oferece diversas oportunidades de emprego. Empresas dos setores automotivo, farmacêutico e tecnológico têm presença significativa na região, proporcionando um mercado de trabalho diversificado.

Educação e Saúde de Qualidade:

Jundiaí se destaca também na área de educação e saúde. Com instituições de ensino renomadas e uma infraestrutura hospitalar completa, a cidade atrai famílias em busca de qualidade de vida e excelentes serviços.

Gastronomia Local:

A culinária jundiaiense é um capítulo à parte. Influenciada pela diversidade cultural, a cidade oferece uma gama de opções gastronômicas, desde restaurantes sofisticados até as tradicionais cantinas italianas. Os produtos locais, como as frutas das fazendas da região, também são destaque.

Festivais Gastronômicos:

Além dos restaurantes, Jundiaí promove diversos festivais gastronômicos ao longo do ano, nos quais chefs locais e renomados se reúnem para celebrar a riqueza da culinária regional.

Vida Noturna e Entretenimento:

Não só de natureza se vive! As vezes bons drinks e uma noite mais agitada também valem a saída de casa. A diversão não falta em Jundiaí quando o sol se põe. Bares, casas de shows e espaços culturais oferecem opções para todos os gostos. A atmosfera acolhedora da cidade se estende à vida noturna, tornando-a agradável para moradores e visitantes.

Jundiaí, com sua história rica, economia próspera e qualidade de vida, é uma cidade que merece ser explorada. Seja pelos seus pontos turísticos, oportunidades de emprego ou pela culinária irresistível, há algo para todos. Considerada uma joia do interior paulista, Jundiaí está pronta para receber aqueles que buscam uma experiência única e enriquecedora.

Onde Fica Jundiaí - SP?

No paraíso? Não, no interior (quase, vai?)! Além de sua própria beleza e atrativos, Jundiaí está situada em uma região estratégica do estado de São Paulo, tornando-se um ponto de partida conveniente para explorar outras cidades e destinos do interior paulista. Confira:

Distância de Jundiaí até SP: 

  • 1 h 32 min (77,1 km) via Rod. dos Bandeirantes
  • 1 h 38 min (59,5 km) via BR-050 e Rod. dos Bandeirantes

Jundiaí Fica em Qual Zona de SP?

A charmosa e única cidade fica localizada entre a Região Metropolitana de São Paulo e a Região Metropolitana de Campinas e próxima de outras regiões importantes do estado como a região de Sorocaba e a região de São José dos Campos.

Quais são as cidades vizinhas de Jundiaí?

Como é morar em Jundiaí - São Paulo?

Em recente avaliação, e claro, de acordo com os seus moradores, Jundiaí conquistou a posição de segunda melhor cidade do Brasil em termos de qualidade de vida, além de ostentar a 17ª colocação no ranking do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Com suas ruas arborizadas e bem urbanizadas, o município oferece uma infraestrutura robusta, contando com diversos hospitais, clínicas de saúde, instituições educacionais, faculdades, centros esportivos, parques e variados estabelecimentos de entretenimento. Esses atributos tornam Jundiaí uma escolha atrativa para residência e investimentos, consolidando sua posição como um dos destinos mais promissores do país.

Quantos Habitantes tem em Jundiaí?

  • 423.006 (2020)

Quantos Anos tem a Cidade de Jundiaí?

  • 367 anos, irá completar 368 em Dezembro de 2024!

Como Economizar Dinheiro Visitando Jundiaí - SP?

Nem sempre passear é barato, eu te entendo viajante, as vezes um fim de semana fora pode custar um bom dindin! Então eu vou te ajudar a economizar o máximo possível! Jundiaí, São Paulo, é uma cidade encantadora repleta de atrações turísticas, parques e uma rica cultura. Além disso, é possível aproveitar ao máximo essa experiência sem comprometer o orçamento, proporcionando uma experiência memorável sem gastar além do necessário. Confira como:

1. Transporte Acessível e Inteligente: Uma das principais maneiras de economizar dinheiro ao visitar Jundiaí é escolher opções de transporte acessíveis e inteligentes. Optar por transporte público, como ônibus e trens, pode ser uma escolha econômica e eficiente para se locomover pela cidade. Além disso, serviços de compartilhamento de bicicletas são uma alternativa sustentável para explorar as belezas locais sem gastar muito.

2. Hospedagem Econômica: Jundiaí oferece uma variedade de opções de hospedagem para todos os bolsos. Ao reservar seu hotel, considere opções mais econômicas, como pousadas e hostels, que podem proporcionar uma estadia confortável a preços mais acessíveis.

3. Culinária Local e Economia Gastronômica: Experimentar a culinária local é parte essencial de qualquer viagem, e em Jundiaí, não é diferente. Para economizar dinheiro, procure por restaurantes e lanchonetes populares entre os moradores locais. Esses estabelecimentos muitas vezes oferecem pratos autênticos a preços mais baixos do que os restaurantes turísticos. Além disso, aproveite os mercados locais para comprar ingredientes e preparar suas refeições, economizando ainda mais.

4. Atrações Gratuitas e Culturais: Jundiaí é rica em atrações culturais e históricas, muitas das quais são gratuitas ou têm ingressos com preços acessíveis. Visite museus, praças e parques públicos para absorver a atmosfera local sem gastar muito. Fique de olho em eventos culturais gratuitos que podem estar acontecendo durante sua estadia, proporcionando uma experiência enriquecedora sem custos elevados. Por exemplo:

O que fazer de graça em Jundiaí?

1 – Jardim Botânico em Jundiaí:

Endereço: Av. Antônio Frederico Ozanan, 6400 – Vila Hortolandia
Horário de funcionamento: Todos os dias, das 7h às 16h
O Jardim Botânico de Jundiaí (JBJ) foi inaugurado em 29 de dezembro de 2004, abrangendo uma área de 150.000 m². Surgiu como uma iniciativa de revitalização para uma região com um longo histórico de degradação. Visitamos o local pessoalmente e as orquídeas são de tirar o fôlego.

2 – Parque Engordadouro em Jundiaí:

Endereço: Av. André Costa, 1595 – Engordadouro (pet friendly)
Horário de funcionamento: Todos os dias, das 7h às 16h
O Parque do Engordadouro "Ângelo Costa," com uma extensa área de lazer de quase 173.000 m², foi construído como contrapartida de empreendimentos imobiliários privados, mediante o Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV). O parque oferece mais de 3,8 mil metros de trilhas em concreto, incluindo pistas de caminhada e ciclovias, além de 2 mil metros de trilhas em pedrisco. Beem gostoso pra anda de bicleta, mas eu pessoalmente recomendo bastante protetor solar, já que o parque é bem ensolarado.

3 – Parque Botânico Eloy Chaves em Jundiaí:

Endereço: Avenida Benedito Castilho de Andrade, 1000, Eloy Chaves
Horário de funcionamento: Todos os dias, das 6h às 17h
O Parque Botânico Eloy Chaves, situado no bairro Eloy Chaves, preserva 41 mil m² de área verde e abriga a primeira academia ao ar livre da cidade. Com 21 equipamentos de ginástica, incluindo dois destinados aos portadores de mobilidade reduzida, oferece mais de 40 opções de exercícios. Fomos pós almoço e notamos que várias crianças brincam pelo parque, então fica a dica pros pais de plantão.

4 – Parque da Cidade em Jundiaí:

Endereço: Rod. João Cereser, Km 66 – Pinheirinhos
Horário de funcionamento: Segunda a sexta, das 6h30 às 19h; sábado e domingo, das 6h30 às 18h
Desenvolvido pela DAE Jundiaí e inaugurado em 21 de abril de 2004, o Parque da Cidade, com seus 500 mil metros quadrados, tornou-se um dos símbolos de Jundiaí. Além de oferecer atrações para toda a família, foi construído para prevenir ocupações irregulares no entorno da represa que abastece a cidade. Confesso que esse eu visitei ainda criança, andei de patins (e caí), é um ambiente bem familiar, perfeito para um dia em família.

5 – Mundo das Crianças em Jundiaí:

Endereço: Rodovia João Cereser, Pista Sul – Km 64+400, Pinheirinho
Horário de funcionamento: Terça a domingo, das 7h às 12h (com entrada até às 11h) e das 13h às 17h (com entrada até às 16h). Necessário agendamento prévio.
O Mundo das Crianças, parte da área de preservação da represa que abastece Jundiaí, é uma realização das concepções sobre a infância do município. Este espaço inovador estimula o contato com a natureza, o brincar e a aprendizagem, oferecendo estações de brinquedos, paredes de escalada, quadras esportivas, pista de skate, áreas verdes e trilhas. Esse chama bastante atenção, turistas de cidades vizinhas aproveitam para trazer as crianças pro parque, que é um diferencial no interior de SP.

6 – Catedral Nossa Senhora do Desterro em Jundiaí:

Endereço: Praça Governador Pedro de Toledo, s/n – Centro
Horário das Missas: Segunda a sexta, às 18h30; sábado, às 18h30; domingo, às 7h, 9h, 11h e 18h30
A construção da Catedral Nossa Senhora do Desterro teve início em 1651, substituindo a primeira capela da cidade. Em 1886, sob o projeto do arquiteto Ramos de Azevedo, passou por uma grande reforma, adotando o estilo Neogótico.

7 – Museu Solar do Barão em Jundiaí:

Endereço: Rua Barão de Jundiaí, 762, Centro
Horário de funcionamento: Jardins abertos diariamente, das 10h às 17h; Museu fechado para manutenção e montagem de exposições.
Criado em 1955, o Museu Histórico e Cultural de Jundiaí preserva a história e a cultura do município. O prédio tombado possui uma área de cerca de 1.600 metros quadrados, com jardins que oferecem um ambiente tranquilo em meio à agitação do centro.

8 – Complexo Fepasa em Jundiaí:

Endereço: Avenida União dos Ferroviários, 1760, Centro
Horário de Funcionamento: Segunda a sexta, das 9h às 18h; sábado, das 9h às 13h; domingo fechado
Com uma área total de 111 mil metros quadrados, sendo 46 mil de área construída, o Complexo Fepasa teve sua construção iniciada na década de 1890 para abrigar as oficinas de locomotivas a vapor da Companhia Paulista de Estradas de Ferro. É o único patrimônio material do município com tombamento em nível nacional.

9 – Pinacoteca Municipal em Jundiaí:

Endereço: Rua Barão de Jundiaí, 109, Centro
Horário de funcionamento: Terça a domingo, das 10h às 17h
Criada em 2008, a Pinacoteca Municipal Diógenes Duarte Paes promove atividades relacionadas às artes visuais. Além de exposições, oferece workshops, oficinas e um programa educativo para diferentes públicos.

10 – Adega Maziero em Jundiaí:

Endereço: Av. Maria Negrini Negro, 2051 – Caxambu
Horário de funcionamento: Segunda a sábado, das 8h às 18h; domingo e feriado, das 8h às 16h
Fundada há mais de 60 anos, a Adega Maziero foi escolhida para produzir vinhos para importantes eventos, incluindo a visita do Papa Bento XVI ao Brasil em 2007 e o almoço do Papa Francisco em 2013.

11 - Aproveite a Natureza de Jundiaí sem Gastar:

Jundiaí é conhecida por seus parques e áreas verdes deslumbrantes. Economize dinheiro explorando a natureza local através de trilhas e passeios a pé. Além disso, muitos parques oferecem atividades gratuitas, como eventos culturais e esportivos. Aproveite essas oportunidades para se conectar com a natureza e a comunidade local sem gastar uma fortuna. Conseguimos visitar diversos lugares de Jundiaí gratuitamente ou gastando bem pouco1

12 - Educação e Entretenimento Gratuitos:

Aproveite eventos educativos e culturais gratuitos que podem ocorrer em Jundiaí. Palestras, workshops e apresentações artísticas são frequentemente oferecidos sem custos, proporcionando uma experiência enriquecedora sem afetar seu orçamento. Consulte a programação local e aproveite as oportunidades disponíveis durante sua visita.

13 - Evite Temporadas de Pico:

Para economizar dinheiro em hospedagem e atrações turísticas, evite visitar Jundiaí durante as temporadas de pico. Planeje sua viagem durante períodos mais tranquilos, quando os preços tendem a ser mais baixos. Além disso, evitar multidões permitirá que você desfrute melhor das atrações sem as longas filas e aglomerações.

Conheça os 48 Lugares Imperdíveis para o Turismo Rural em Jundiaí:

  1. Adega Beraldo di Cale
  2. Adega Brunholi
  3. Adega do Português
  4. Adega e Cervejaria Galvão
  5. Adega Fontebasso
  6. Adega Fratelli di Boschini
  7. Adega Juca Galvão
  8. Adega Marquesim
  9. Adega Martins
  10. Adega Maziero
  11. Adega Mingoti
  12. Adega Negrini
  13. Adega Oliveira
  14. Adega Santa Cecília
  15. Adega Sibinel
  16. Adega Villaggio Brunelli
  17. Aroma da Serra
  18. Café Colonial Bella Mattina
  19. Casa Cereser – Loja de Fábrica
  20. Casa de Pizzo
  21. Clamar – Conservas Artesanais
  22. Espaço Carpe Diem de Lazer
  23. Espaço Cultural Museu do Vinho
  24. FarmBox
  25. Fazenda Montanhas do Japi
  26. Fazenda Nossa Senhora da Conceição
  27. Fazenda Ribeirão
  28. Haras Terra Nova
  29. HostHorses – Centro Equestre e Turismo
  30. Pavan Boutique do Porco
  31. Recanto Marquezin – Sítio São Roque
  32. Restaurante A Taverna
  33. Restaurante Beraldo di Cale
  34. Restaurante e Bar do Mingo Fonte Basso
  35. Restaurante e Bar O Italianão
  36. Restaurante Família Brunholi
  37. Restaurante Piatti Belli
  38. Restaurante Sítio Fontebasso
  39. Restaurante Spiandorello
  40. Restaurante Vendinha do Alto
  41. Sítio e Adega Família Vendramin
  42. Sítio Serra das Paineiras
  43. Travitália Bar & Restaurante
  44. Tre Sorelle Pasta
  45. Vale das Frutas
  46. Vinícola Castanho
  47. Vinícola Saccomani
  48. Viveiro Terra Nova

Busca uma boa hospedagem em Jundiaí ou Região? CLIQUE NO BOTÃO ABAIXO E RESERVE:

PESQUISE E FAÇA SUA RESERVA AQUI!

Conheça os Principais Parques de Jundiaí:

  1. Bosque Jardim Copacabana
  2. Jardim Botânico Jundiaí
  3. Mundo das Crianças
  4. Parque Botânico Eloy Chaves
  5. Parque Botânico Tulipas Professor Aziz Ab’Saber
  6. Parque Comendador Antônio Carbonari – Parque da Uva
  7. Parque da Cidade
  8. Parque do Engordadouro Ângelo Costa
  9. Parque do Trabalhador – Corrupira
  10. Parque Ecológico Morada das Vinhas (CECAP) José Roberto Mota ‘Barroca’
  11. Parque Jardim do Lago Antônio Garcia Machado
  12. Unidade de Desenvolvimento Ambiental (Unidam)

Patrimônio Histórico e Museus em Jundiaí:

  1. Biblioteca Municipal Professor Nelson Foot
  2. Catedral Nossa Senhora do Desterro
  3. Complexo Educacional e Cultural “Argos”
  4. Complexo Fepasa
  5. Gabinete de Leitura Ruy Barbosa
  6. Grupo Escolar Conde do Parnaíba
  7. Pinacoteca Diógenes Duarte Paes
  8. Ponte Torta
  9. Sala Glória Rocha – Centro das Artes (Polytheama)
  10. Teatro Polytheama
  11. Centro de Memória do Esporte Jundiaiense –CECE Dr. Nicolino de Luca – Bolão
  12. Espaço Cultural Museu do Vinho
  13. Museu da Companhia Paulista
  14. Museu do Café do Barão da Serra Negra – Fazenda Nossa Senhora da Conceição
  15. Museu Histórico e Cultural de Jundiaí – Solar do Barão
  16. Pinacoteca Diógenes Duarte Paes

Dados da Cidade de Jundiaí:

Aniversário: 14 de dezembro
Santo Padroeiro: Nossa Senhora do Desterro
Distância até a capital: Federal 950 km / Estadual 57 km

Outras distâncias importantes:

Aeroporto

Aeroporto Estadual de Jundiaí (aviação executiva)
Aeroporto de Viracopos (Campinas): 30 Km
Aeroporto de Congonhas (São Paulo): 55 Km
Aeroporto de Cumbica (Guarulhos): 80 Km
Porto de Santos: 130 Km

Rodovias
Rodovia dos Bandeirantes
Rodovia Anhanguera
Rodovia D. Gabriel Paulino Bueno Couto
Rodovia Tancredo de Almeida Neves
Rodovia Constâncio Cintra
Rodovia Geraldo Dias

A História Completa de Jundiaí:

Até o final do século XVII (17), os povos indígenas viviam na região de Jundiaí, alguns grupos, que se distinguiam pelo nomadismo, viviam em clãs familiares, enquanto outros eram sedentários. Eles se concentraram na produção de milho e mandioca. Os brancos colonizadores incorporaram elementos da cultura indígena, como o uso de queimadas na lavoura e técnicas de construção.

Origem do nome Jundiaí: Sua origem é Tupo, e seu nome Jundiaí deriva das palavras "jundiá", que significa " bagre" e "y", que significa "rio". Alguns acadêmicos também veem o termo "yundia" como "alagadiços de muita folhagem e galhos secos".

História de Jundiaí no Século 17:

Os primeiros colonos chegaram à região em 1615. Apesar das divergências entre os historiadores, o relato mais aceito sobre a fundação do município remonta a Rafael de Oliveira e Petronilha Rodrigues Antunes, que fugiram de São Paulo por motivos políticos e se refugiaram nas redondezas.

Eles fundaram o Freguesia de Nossa Senhora do Desterro, posteriormente elevada à categoria de Vila em 14 de dezembro de 1655. Os grupos indígenas foram expulsos pelos novos colonizadores e embrenharam na mata. Existem vínculos diretos entre a origem de Jundiaí e o movimento bandeirante, que foi o principal responsável pela ocupação da antiga Capitania de São Vicente.

História de Jundiaí no Século 18:

Ao longo dos séculos 17, 18 e início do XIX (19), a economia da cidade restringiu-se a pequenas fazendas de subsistência que alimentavam aldeões, caçadores e bandeirantes. Nesta época, a região era composta por algumas sesmarias pertencentes à Capitania de São Vicente, também conhecida como "Portão do Sertão". Era um percurso com inúmeras entradas e bandeiras. Mesmo sendo contra a lei, a escravidão indígena foi durante muito tempo a base da mão-de-obra local.

Naquela época, a cidade tinha quatro ruas principais: chamadas de Rua Direita (atualmente Barão de Jundiaí), Rua Nova (Senador Fonseca), Rua do Meio (Rua do Rosário), e Rua Boa Vista (Zacarias de Góes). As melhores casas eram feitas de taipa e terra, enquanto os moradores mais subservientes usavam pau-a-pique coberto de sapé.

O Hospício dos Beneditos, a Capela de Nossa Senhora do Rosário e o Mosteiro de São Bento, um dos poucos monumentos ainda existentes, estiveram todos presentes na zona insurgente.  Naquela época, o abastecimento de água era feito de maneira rudimentar, por meio de tubulações públicas (bicas). Os candelabros de querosene encarregavam-se da iluminação. Eles estavam pendurados nas paredes, acesos no final do dia e apagados com o pôr do sol.

O Largo do Rocio, que hoje se situa na Praça da Bandeira, foi uma das zonas comerciais que mais movimento teve. O destaque das atividades agrícolas era a cana-de-açúcar, embora este produto também fosse utilizado para fazer aguardente.

O número de indígenas e afrodescendentes era praticamente igual em meados do século XVIII (18), mas a partir da segunda metade daquele século, o número de afro-americanos aumentou a ponto de a mão-de-obra indígena ser completamente abandonado. À medida que o número de afro-americanos aumentava, aumentavam também as concentrações de resistência. Não há muitos registros históricos sobre a vida desses trabalhadores. Em 28 de março de 1865, Jundiaí foi elevada à categoria de cidade.

História de Jundiaí no Século 19:

A partir da segunda metade do século XIX (19), a produção de café ganhou força no oeste, o que ajudou na expansão da cidade. Junto com o café vieram a ferrovia e as indústrias. A inauguração da Ferrovia Santos-Jundiaí ocorreu em 1867, período em que se presenciava a crise do escravismo e o consequente aumento dos preços do escravo.

Nessa situação, o Governo Federal teve participação direta no amplo processo imigratório, já que grandes produtores rurais começaram a buscar novos trabalhadores. Os primeiros foram os italianos, que se instalaram principalmente na região da Colônia, no Núcleo Barão de Jundiaí, sob a direção do então presidente da Província de São Paulo, Dr. Antônio de Queiroz Telles (Conde de Parnaíba), descendente do Barão de Jundiaí.

Mais tarde, outros europeus se estabeleceram no mercado e no vinhedo, e vários deles passaram rapidamente de colonos a proprietários, aumentando a atividade agrícola. O crescimento dos setores comercial, industrial e mesmo de serviços e infraestrutura urbana foi estimulado pela imigração.

Enquanto isso, Jundiaí destacou-se como estratégica cidade ferroviária com a criação da Ferrovia Santos-Jundiaí (em 1867), a Cia. Paulista de Estradas de Ferro (em 1872), a Cia. Ituana (em 1873), a Cia. Itatibense (em 1890), e a Cia. Bragantina (em 1891).

História de Jundiaí no Século 20:

Segundo censo feito pelo governo federal, Jundiaí tinha 44.437 habitantes em 1920. O sistema de abastecimento de água foi implantado em 1881. A energia elétrica chegou em 1905 e o telefone em 1916. Imigrantes asiáticos, principalmente japoneses, chegaram à cidade entre as décadas de 1920 e 1930. O processo de industrialização de Jundiaí seguiu as vias de circulação. Com isso, as indústrias concentraram-se em áreas próximas à ferrovia e às margens do Rio Guapeva, atendendo principalmente às indústrias têxtil e cerâmica.

Novo crescimento industrial ocorreu nas décadas de 1930 e 1940, e com a inauguração da Rodovia Anhanguera em 1948, mais empresas buscaram a cidade, aproveitando a abertura da economia ao capital estrangeiro em 1950. As indústrias metalúrgicas chegaram ao município nessa época. Em suma, pode-se dizer que Jundiaí nasceu com uma forte aptidão para o trabalho e desenvolvimento.

Após o fim do programa de trabalho no exterior no país, os ricos proprietários de terras de São Paulo começaram a investir na mão de obra de imigrantes europeus que fugiram dos horrores da guerra. A cidade recebeu um elevado números de imigrantes italianos e para poder abrigar as suas famílias, foram criados na cidade quatro núcleos coloniais, entre eles o “Barão de Jundiaí”, que deu origem ao bairro da Colônia, atitude esta que surgiu por iniciativa do presidente da Província de São Paulo, Antônio de Queiroz Telles, o Conde do Parnaíba.

Em 1887, 22 colonos italianos chegaram até o núcleo " Barão de Jundiaí" e, em poucos meses, essa presença já chegava a cerca de 100 pessoas. A vida diária não era fácil: chegaram ao Brasil apenas com as roupas do corpo e poucos pertences, sendo as passagens subsidiadas pelo governo brasileiro.  As famílias trabalhadoras italianas estavam criando seus próprios meios de subsistência, cultivando a terra e tendo filhos. Numerosos grupos conseguiram comprar pequenos lotes, construir arsenais e organizar culturas diversas, principalmente as relacionadas com milho, feijão, arroz, batata, leguminosas e frutas, principalmente a uva.

A Chegada dos Imigrantes Italianos no Bairro da Colônia:

No atual local da Festa della Colonia Italiana, a história de um dos períodos mais importantes da imigração italiana para Jundiaí está preservada na memória dos descendentes e está documentada em livros e documentos históricos.

A Árvore Lendária de Jundiaí:

"A Figueira", árvore que crescia na região central da Colônia onde hoje estão as cantinas, foi considerada o símbolo mais importante dessa rede colonial e tornou-se uma instituição de crédito ao cumprir a função de "alojamento" de trabalhadores imigrantes nos primeiros tempos. Segundo relatos, as famílias foram mantidas sob a figueira protegidas por panos, lençóis e barracas enquanto aguardavam a liberação de seus lotes. Citada em versos, livros, história e estórias, "a Figueira" retorna aos primeiros tempos dos imigrantes, ao seu contato com as novas terras, após uma longa viagem carregada de emoções e de dramas.

As Grandes Festas de Jundiaí:

Jundiaí, com forte tradição agrícola, destacou-se no cenário nacional pela produção de uvas de mesa, principalmente a niágara rosada. Para incentivar ainda mais produtores, Antenor Soares Gandra criou a Festa da Uva em 1934, com o apoio da Associação Agropecuária de Jundiaí e da Prefeitura. O evento foi realizado no extinto Mercado Municipal e atraiu grande público.

O festival continuou a ser realizado em um ciclo de três anos, com o evento sendo realizado em um formato mais amplo às vezes. Desde 1964, o evento alterna entre anos de sim e não, sempre em anos pares, com o Festival do Morango. O local é o Parque Comendador Antonio Carbonari, também conhecido como Parque da Uva. O primeiro Festival do Morango foi realizado em 1965 no bairro do Poste. Com a maior participação de produtores rurais e público em geral, o evento foi transferido para o Parque da Uva.

Jundiaí Hoje:

Em pouco tempo, tanto os imigrantes quanto seus descendentes foram se assimilando à comunidade jundiaiense. Hoje, mais de 75% da população de Jundiaí é descendente de imigrantes italianos, tornando a cidade uma das colônias mais populosas do Brasil.

Jundiaí descobriu sua vocação industrial na primeira metade do século XX (20), que continua perseguindo até hoje, já que a cidade abriga um dos maiores parques industriais da América Latina.

Atualmente, Jundiaí tem como foco o desenvolvimento das áreas cultural, educacional, tecnológica e ambiental. A indústria do lazer movimenta a economia da cidade atraindo turistas e gerando empregos.


Sugestões Para Conhecer em Jundiaí

No Refúgios do Interior você encontra os principais pontos turísticos do Estado de São Paulo. Faça Agora o seu Roteiro, inclua restaurantes preferidos, lugares que deseja conhecer e aproveite para fazer sua reserva na sua hospedagem preferida através do nosso site (parceiro booking). Desejamos boa viagem!

Pizzaria Vesúvio Jundiaí

Pizzaria Vesúvio Jundiaí

Uma das maiores pizzarias do estado e a maior de Jundiaí, ambiente amigável e comida de alta qualidade, uma das melhoras escolhas pra quem deseja reunir amigos e família!

Conhecer
Grafitti Palace Hotel Jundiaí

Grafitti Palace Hotel Jundiaí

Se você é do tipo que gosta de ficar no Centro, coração da cidade e fazer diversas coisa a pé. O Grafitti Hotel atenderá seu perfil!

Conhecer
Mesquita de Jundiaí

Mesquita de Jundiaí

O Centro Islâmico de Jundiaí foi fundado em 15 de fevereiro de 1979, com a finalidade é propagar a cultura islâmica, a religião e a língua árabe.

Conhecer

Copyrights © 2020 - 2024 Canvas: Elis Salles
+55 (11) 99939-2431 ·