Login/Cadastrar



Olá bem vindo ao Refúgio! Para favoritar lugares, comentar, programar viagens, criar roteiros e muito mais... Primeiramente, você precisa CRIAR um usuário e escolher por onde deseja logar, se é através de senha do site ou através do google / facebook (sem senha). Depois é só CONFIRMAR O E-MAIL enviado para você para liberar o acesso e logar da forma preferida. Boa viagem!!!

Conheça Indaiatuba

Comece agora a programar sua viagem!

Onde Visitar em Indaiatuba
Não sabe o que fazer em Indaiatuba? Selecionamos os melhores pontos turísticos para você e sua família conhecer e aproveitar a cidade. Cachoeiras, Trilhas, Praias, Parques, Shoppings, Teatros e muito mais... Clique Aqui e Saiba o Que Fazer em Indaiatuba
Onde Ficar em Indaiatuba
Desejamos que você tenha a melhor experiência na sua hospedagem em Indaiatuba. Escolha aqui seu hotel, resort, spa, pousada, hostel ou camping no Interior de SP. Clique Aqui e Saiba Onde Ficar em Indaiatuba
Onde Comer em Indaiatuba
Sabemos que a maioria dos hotéis servem apenas o café da manhã, pensando nisso selecionamos os melhores restaurantes em em Indaiatuba. Escolha os melhores restaurantes, pizzarias e bares no interior de SP e Capital. Clique Aqui e Saiba Onde Comer em Indaiatuba
Utilidades e Emergências em Indaiatuba
Um dos pontos a serem levados em conta ao planeJar uma viagem, são os endereços emergenciais, afinal nunca sabemos o que se pode acontecer. O Refúgio preparou uma lista dos principais endereços que você terá em um clique em caso de emergência em uma viagem. em Indaiatuba. Clique Aqui e Confira Endereços e Telefones
Indaiatuba

Foto:panoramadenegocios.com.br

CONHEÇA INDAIATUBA

O município de Indaiatuba completa 190 anos no dia 9 de dezembro de 2020. Em nove de dezembro de 1830 Indaiatuba tornou-se, por decreto do Imperador, sede de uma das Freguesias da Vila de Itu, englobando também os bairros de Itaici, Piraí, Mato Dentro e Buru. Em 1835 havia na sede da Freguesia apenas 142 habitantes, em Mato Dentro eram 454, em Itaici 625 e, em Piraí, 805 habitantes. Sua elevação à condição de Vila ocorreu em 24 de março de 1859. Com esse novo estatuto Indaiatuba ganha autonomia política em relação a Itu, passando a ter sua própria Câmara de Vereadores.

Na frente da Igreja, havia uma área aberta, o Largo da Matriz, centro da vida local, onde aconteciam os eventos civis e religiosos, como a Festa da Padroeira e a saída da romaria para Pirapora. Em torno da Matriz foram sendo construídas as residências urbanas dos fazendeiros da Freguesia, hoje quase todas demolidas, e em redor as casas de comerciantes, artesãos e trabalhadores livres. Desse momento temos preservada a casa número 1, na esquina da matriz, com seu muro de taipa original, que segue pelo beco da matriz até a esquina da Rua Pedro Gonçalves. As Irmandades de São José e de São Benedito cuidavam de seus membros e dos dois cemitérios, o de São Benedito e o de São José. Mais tarde, no final do século XIX, foi construído o cemitério da Candelária.

No largo da Matriz a vida urbana se desenrolava, ali eram feitas as festas religiosas, como a Festa da Padroeira e a saída da romaria para Pirapora, e todos os acontecimentos civis. Nos livros da Igreja da Candelária eram feitos os registros de batismo, casamento e morte de todos os habitantes de Indaiatuba. O seu sino badalava para avisar da missa e das mortes, dos casamentos e dos incêndios. Até as eleições e reuniões da Câmara emprestavam seu espaço para acontecer.

Crescimento

Em 1937, no momento em que se iniciava o Estado Novo de Getúlio Vargas, o Grupo Escolar, que funcionava em um casarão no Largo da Candelária, ganhou uma sede especialmente construída para ele. A partir daí a praça Dom Pedro II, arborizada, bem cuidada, com seu Grupo Escolar, tornou-se o centro da vida estudantil da cidade, mas só tinha salas de primeira à quarta série. A maioria dos alunos acabava o Grupo e ia para o trabalho na lavoura ou na indústria. A atual Escola Estadual Randolfo Moreira Fernandes foi a primeira a escola central da cidade, onde os melhores professores queriam lecionar, e todos os alunos almejavam estudar, com sua localização privilegiada, sua praça e tradição. Atualmente seu prédio abriga a Secretaria de Cultura, e é parte fundamental da memória e do patrimônio histórico edificado de Indaiatuba.

Em 1950 havia 11.253 habitantes no município, que contava então com muitas oficinas: selarias, carpintarias, cantaria, serralherias, ferreiros, sapateiros, alfaiates, máquinas de beneficiar café, arroz e milho, serrarias. Havia fábricas de processamento de algodão, de móveis e de cabos de guarda-chuva, de vassouras, uma fabrica de instrumentos musicais, uma fábrica de cachimbos, uma tecelagem, olarias e pedreiras. O comércio tinha padarias, bares, armazéns, produtos agrícolas, sorveterias, hotéis, fotógrafo, bicicletarias, barbeiros, postos de gasolina.

Em 1964 Indaiatuba já tinha 22.928 habitantes, ou seja, havia dobrado em dez anos. A partir da década de 1960 o crescimento acelerou-se ainda mais, baseado principalmente na expansão da indústria e de serviços. Nos anos 60 e 70 do século XX o a cidade viveu um surto modernizador, que acabou por privar as gerações futuras de belas construções de arquitetura tradicional paulista, inclusive a nossa primeira Câmara e Cadeia. Foram-se também os ameaçada por uma reforma que acabou sendo cuidadosa.

A vontade de se afastar do passado e voltar-se para o futuro era parte da euforia do progresso, sentimento embalado pelo crescimento econômico daquele momento, com a expansão industrial ligada à chegada de empresas internacionais e com o modelo da recém inaugurada capital federal, de arquitetura e proposta modernista. O antigo Largo da Cadeia ganhou nova urbanização e uma fonte luminosa colorida onde havia sido até então primeira Câmara e Prefeitura, demolida em 1962. Uma nova prefeitura foi construída na esquina dessa mesma praça, inspirada na arquitetura de Brasília.

Nos anos 60 e 70 também foi implantado o primeiro plano diretor de Indaiatuba, assinado por Jorge Wilheim em 1968. Esse desenho guiou a expansão urbana até a década de 80, quando, com seu crescimento acelerado por grandes ondas de migração, o projeto encontrou seu limite. A zona sul da cidade começou a ser ocupada sem planejamento, criando problemas urbanos e de circulação.

No final dos anos 80 o arquiteto e urbanista Ruy Ohtake apresentou à cidade um projeto ousado, que propunha o traçado do Parque Ecológico como principal vetor urbanístico para o crescimento futuro da cidade. Este projeto, que iria nortear a expansão urbana de Indaiatuba até os dias atuais, ligou a cidade antiga, hoje na zona norte, à recém criada zona sul da cidade, conhecida como Morada do Sol, criando uma bela paisagem urbana e ampliando sobremaneira a qualidade de vida de toda a comunidade.

Em 1991 o censo registrou 92.700 habitantes em Indaiatuba, número que em 2000 saltou para 146.829, e continua crescendo. O plano de Ruy Ohtake previa uma cidade com qualidade de vida urbana para até 250 mil pessoas, limite que se aproxima de nossa realidade urbana já no final da primeira década do século 21. A cidade vem ocupando primeiros lugares constantes nos índices de crescimento econômico com qualidade nos últimos anos, e está ligada por rodovias modernas a toda a região, e pelo aeroporto de Viracopos aos centros econômicos mundiais. Essa posição traz um crescimento urbano e populacional acelerado, com todos os riscos e benefícios que o acompanham.

Localização
Localizada na Região Metropolitana de Campinas, Indaiatuba está distante 100 quilômetros da Capital paulista e a 30 quilômetros do município sede da região, 60 km. de Sorocaba e ao lado, a apenas 10 quilômetros está o Aeroporto Internacional de Viracopos e que segundo dados da Infraero, deve se tornar o maior centro cargueiro para a América latina principalmente pela sua localização geográfica e das condições climáticas da região. Segundo pesquisas, Indaiatuba é a 7ª maior cidade do interior do Estado de São Paulo, está próximo a rodovia dos Bandeirantes, Anhangüera, do Açúcar e Castelo Branco, facilitando o escoamento das indústrias localizadas nos quatro distritos industriais que a cidade possui, sendo que já estão em fase de estudos outros loteamentos industriais.

Com ruas, alamedas e avenidas largas, e muitas áreas verdes, um imenso parque ecológico natural, Indaiatuba se destaca das outras cidades da região por oferecer uma das melhores qualidades de vida e serviços que são necessárias à sua população.

Casarão Pau Preto

O Casarão do Pau Preto foi construído nas terras vizinhas às da fazenda e engenho de açúcar da família Bicudo, provavelmente entre 1810 e 1820, no final do período colonial brasileiro. Sua construção de arquitetura bandeirista é de taipa de pilão e, em algumas partes, taipa de mão. Em meados do século XIX ele fez parte de uma chácara urbana do pároco de Indaiatuba, Antonio Cassemiro da Costa Roriz.

Em torno dessas fazendas de açúcar foram se fixando, desde o final do século XVIII, pessoas que viviam do comércio e da fabricação artesanal de produtos para os habitantes próximos.

Igreja Candelária

O núcleo urbano de Indaiatuba se fixou em torno do Largo da Igreja, como era costume. A história política de Indaiatuba inicia-se com a ereção de sua capela curada, através da doação de alguns imóveis feita à capela, por Pedro Gonçalves Meira, em 1813. Por esse gesto Pedro é considerado o fundador de nossa cidade.

Ter sua capela curada possibilitou ao pequeno bairro ser o centro civil local, uma vez que, a partir daí, puderam ser feitos nessa igreja os batismos, casamentos e sepultamentos, tanto da população próxima como dos habitantes dos bairros rurais vizinhos. Um fato curioso é de que a primeira padroeira dessa capela foi Nossa Senhora da Conceição. Após a morte de Pedro, seu irmão Joaquim passou a cuidar dessa capela e, devoto de Nossa Senhora da Candelária, transformou-a em sua padroeira. Essa capela, ampliada e reformada, é a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária. É uma das poucas igrejas construídas em taipa de pilão no interior de São Paulo ainda existentes, e um belo exemplo da arquitetura religiosa colonial paulista. Durante o século XX foram feitas reformas para melhorar o seu interior, trocando-se o forro, a pintura e a iluminação. Seu Largo recebe há mais de cento e cinqüenta anos a Festa da Padroeira e os romeiros que vão para Pirapora.

Estação ferroviária

No final do século XIX um acontecimento veio mudar a vida urbana de Indaiatuba: a estrada de ferro. O primeiro trecho da Estrada de Ferro Ituana foi feito entre Jundiaí e o nosso bairro rural de Pimenta, na fazenda do mesmo nome, inaugurado em 1872. Em 1873 iniciou-se o trecho Itaici-Piracicaba, passando por Indaiatuba.

A estação primitiva de Indaiatuba não foi erguida pela Ytuana. A Câmara Municipal de Indaiatuba fez uma arrecadação publica de fundos e construiu por conta própria a primeira Estação, doando-a para a Ytuana. Essa primeira estação, inaugurada em 1880, fica à esquerda da Estação principal, funcionando hoje como uma oficina-escola de liuteria. A “nova” Estação, onde hoje está o Museu Ferroviário, foi construída em 1911.

Nos trilhos da estrada de ferro, Indaiatuba recebeu, a partir do final do século XIX, muitos imigrantes da Suíça, Alemanha, Itália, Espanha e, já no século XX, imigrantes do Japão. Esses homens e mulheres dedicaram-se principalmente à agricultura, mas também ao comércio, às oficinas e manufaturas.

Hospital Haoc

O Hospital Augusto de Oliveira Camargo foi construído por iniciativa do casal Augusto de Oliveira Camargo e Leonor de Paula Leite Barros Camargo, e inaugurado em 1933.

A fachada do hospital “olha” para a Matriz e vice-versa, e junto com seu grande parque compõe uma bela paisagem urbana. Quando foi feito, o hospital era muito superior, em tamanho, equipamentos e logística a todos os demais equipamentos urbanos da pequena cidade. Sua área era de 4.500 metros quadrados e possuía o triplo de iluminação de toda Indaiatuba, que na época tinha 3 mil habitantes. O suporte financeiro do casal Camargo foi fundamental também para que a cidade ganhasse seu primeiro serviço de saneamento e para a construção do prédio novo do Grupo Escolar.

Água tratada em Indaiatuba

Atualmente cerca de 98,99% da água tratada, corresponde a extensão da rede abastecimento de água de Indaiatuba totalizava 754 quilômetros. Distância equivalente (em linha reta) de São Paulo a Florianópolis (Santa Catarina).

O diretor de comunicação do Saae, explica que a diferença entre 98,99% e 100% do atendimento à população corresponde aos moradores que residem na margem esquerda do rio Jundiaí. “Na área urbana da margem direita do rio Jundiaí existem loteamentos fechados e condomínios como Vale das Laranjeiras, Recanto da Flores, Colinas do Mosteiro de itaici. Para a expansão das redes de água para esses locais, a municipalidade deverá ser lançar um PCM (Plano Comunitário de Melhorias), como foi feito, por exemplo, com os bairros da zona norte, próximos ao aeroporto de Viracopos, que não dispunham dessa benfeitoria. No entanto para a implantação da benfeitoria será necessária a adesão de pelo menos 50% dos proprietários, conforme determina a lei”, complementa.

Pontos Turísticos

Parque Ecológico

Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, s/n.

Aberto 24 horas.
Entrada gratuita.

O Parque Ecológico, projeto do arquiteto e urbanista Ruy Ohtake, foi inaugurado em 1992 e hoje corta a cidade em 80% da sua totalidade. São 15 quilômetros de pistas de caminhadas, cooper e ciclovias. Abrange em sua extensão, bosques, lagos, jardins, áreas de recreação, campos de futebol, vôlei, uma pista de bicicross oficial, uma pista de skate profissional, uma raia de remo olímpico, equipamentos de ginástica, uma praça de eventos, parque temático infantil e um teatro multidisciplinar. É sede também de vários eventos esportivos e culturais, como o Carnaval de Rua e a Corrida Cidade de Indaiatuba.

Parque Temático

Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, s/n.
Aberto 24 horas.
Entrada gratuita.

O Parque Temático está localizado no Parque Ecológico, na altura do Jardim Monte Verde, e é uma das mais completas e diferenciadas áreas de lazer de Indaiatuba. A principal atração são os animais gigantes feitos de fibra que compõem o playground temático. Os balanços têm como suporte dois elefantes, duas girafas decoram o escorregador tipo tobogã, a ponte de madeira é o acesso às cabanas do mesmo material, e o espaço também é composto por formiga, joaninha e cogumelos gigantes. O lazer se completa com playground comum, uma quadra poliesportiva que foi construída no padrão exigido para a prática de tênis, duas quadras de vôlei de areia e dois campos de futebol de areia, além de quiosques de alimentação, área de descanso e de banho com chuveiros e pista de caminhada. O Parque conta ainda com duas fontes de água e todos os pontos de lazer estão interligados por calçadas.

Bosque do Saber

Rua João Batista D’Alessandro, 610. Fone: (19) 3875-7210.
Sábados e domingos das 09h às 16h30.
Entrada gratuita.

A Escola Municipal Ambiental Bosque do Saber pertence à Secretaria Municipal de Educação e foi inaugurada no dia 22 de maio de 2004, com a proposta inicial de ser um centro metadisciplinar. Nela encontra-se uma área verde de aproximadamente 11.000 m² para o desenvolvimento das atividades de apoio e pesquisas referentes ao estudo do meio, onde, no decorrer do ano são desenvolvidas atividades e cursos para capacitar professores e alunos sobre o estudo multidisciplinar do meio ambiente aplicado a alunos do ensino infantil, fundamental I e II e médio . A área externa possui estufa, galpão e viveiro para mudas, galpão de reciclagem de papel artesanal, orquidário, Jardim das Borboletas, área de alimentação, parquinho, Jardim dos Beija-flores, galpão de compostagem, maquete de uma microbacia hidrográfica, pomar orgânico, horta orgânica, além de uma trilha de cerca de 500 metros para que os visitantes possam caminhar na mata nativa. Aos finais de semana o espaço externo da unidade está disponível para a visitação da comunidade, sem necessidade de agendamento prévio.

Casarão Pau Preto

Rua Pedro Gonçalves, 477

Museu
Fone: (19) 3875 8383
Funcionamento: 2ª à sábado das 9 às 17 horas
Domingos: Museu das 8 às 12 horas
Bosque das 13 às 17 horas

Biblioteca Pública Municipal - Atendimento à Rua Osvaldo Cruz, 1015 - Cidade Nova I, de segunda a sexta das 09h às 17h e sábado das 09h às 13h. Fone: (19)3834 6633

O Casarão, como é popularmente conhecido na cidade, é uma construção que data do início do século XIX, provavelmente entre1810 e 1820, cujas paredes de taipa de pilão e de mão são testemunhos de técnicas construtivas daquele período. Ele está edificado em um terreno de 6.248,43 m², que conta também com um bosque formado por pouco mais de cem árvores, das quais se destaca um enorme Jatobá com aproximadamente 150 anos de idade. O Casarão Pau Preto foi tombado em dezembro de 2008 (Decreto Municipal 10.108/20080), atualmente, no local estão instaladas a sede administrativa da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba, a Biblioteca Pública e o Museu Municipal. O Museu iniciou suas atividades em 1983, quando o Casarão Pau Preto foi declarado de utilidade pública. Desde então, recolhe objetos significativos à história de Indaiatuba. Neste amplo contexto constituiu-se um acervo eclético que representa várias histórias indaiatubanas. É formado por conjuntos de objetos dos universos doméstico, trabalho urbano, trabalho rural, artísticos e outros. Para expô-los ao público é necessário, ao longo do ano, apresentá-los através de exposições temáticas e temporárias.

 

Museu Ferroviário

Praça Newton Prado, s/nº. Fone: (19) 3816 4917.

De segunda a sexta das 08h às 12h e das 14h às 18h, sábados, domingos e feriados das 09h30 às 12h30.
Entrada gratuita.

Administrado pela Fundação Indaiatubana de Educação e Cultura (Fiec), atualmente o Museu Ferroviário está localizado em um conjunto de prédios da antiga estação ferroviária. Oferece a exposição permanente da Locomotiva nº10, que foi fabricada em 1874 nos Estados Unidos, onde foi adquirida pelo imperador D. Pedro II, fato de destaque na história das ferrovias no Brasil. Conta também com cerca de 400 objetos em seu acervo, todos identificados e registrados, além de instalações de ferromodelismo em escala HO, onde as composições fazem percurso na parte interna e externa do mesmo. Recebe em média 7 mil visitas ao ano. Também são realizados anualmente no Museu dois grandes eventos culturais com o intuito de resgatar tradições: São João na Estação e Natal na Estação, os quais fazem parte do calendário cultural do município.

Casa do Artesão

Praça Dom Pedro - ao lado do Terminal de Ônibus
Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª feira das 9 às 18h e aos Sábados das 9 as 13h
Entrada gratuita.

A Casa do Artesão é gerenciada pela Feira das Artes desde 2006 com apoio do Departamento de Turismo, vinculado à Secretaria de Desenvolvimento. A casa apresenta uma variedade de técnicas de artesanato e trabalhos em biscuit, crochê, tricot, marchetaria, pintura em tela e tecido, entre outros.

 

Feiras das Artes

Praça Rui Barbosa, s/n – Centro.

Sábados das 09h às 17h.
Entrada gratuita.

A Feira das Artes na Praça Rui Barbosa, conhecida como a praça dos peixes é uma tradição na cidade e conta com a participação de cerca de 50 artesãos. A praça é também um dos locais mais arborizados e agradáveis da cidade, conta ainda com parquinho para crianças e lago com peixes. Além de itens como artigos de cama, mesa e banho, acessórios para a cozinha e enfeites para a casa, os visitantes encontram ainda barracas de alimentos caseiros, de elaboração igualmente artesanal.

Contato: Facebook/feira das artes

  • Xicão - 19 9 9237 4652 WhatsApp

Igreja Nossa Senhora Candelária

Praça Leonor Barros Camargo, s/n – Candelária. Fone: (19) 3875 2108.

Fechada às segundas-feiras para limpeza e manutenção.
Entrada Gratuita.

A Igreja Nossa Senhora da Candelária marca o local onde se iniciou a cidade de Indaiatuba. É por ter sua capela curada que Indaiatuba tornou-se sede da Freguesia, em 9 de dezembro de 1830, agrupando os bairros vizinhos. Em torno da Matriz, foram sendo construídas as residências urbanas dos fazendeiros da Freguesia. É uma das poucas igrejas construídas em taipa de pilão no interior de São Paulo ainda existente, exemplo da arquitetura religiosa colonial paulista. Na frente da Igreja, havia uma área aberta, o Largo da Matriz, centro da vida local, onde aconteciam os eventos civis e religiosos, como a Festa da Padroeira e a saída da romaria para Pirapora. Com o final do Império, as funções públicas da Igreja desapareceram, e em seguida a cidade passou a contar com dois centros: um religioso, no Largo da Matriz, e um civil, no Largo da Cadeia, em que se instalaram a Câmara, a Prefeitura e a Cadeia, na atual praça Prudente de Moraes. Durante o século XX foram feitas reformas para melhorar o seu interior, trocando-se forro, a pintura e a iluminação. Seu Largo, reconstruído em 2004, recebe há mais de cento e cinqüenta anos a Festa da Padroeira, em fevereiro, e os romeiros que vão para Pirapora, em junho.

Hospital Augusto de Oliveira Camargo – HAOC

Av. Francisco Paula Leite, 399. Fone: (19) 3801-8200.

O Hospital Augusto de Oliveira Camargo começou a ser construído em 10 de outubro de 1928, por iniciativa do casal Augusto de Oliveira Camargo e Leonor de Paula Leite Barros Camargo. Em 27 de junho de 1933, dia em que o Sr. Augusto completava 82 anos, o HAOC foi inaugurado, com boa parte de seus equipamentos importados e sua arquitetura baseada no estilo das construções americanas. Sua área era de 4.500 metros quadrados e possuía o triplo de iluminação de toda Indaiatuba, que na época tinha 3 mil habitantes. O gasto com a construção incluía também obras de arte que serviriam de adorno para o interior e exterior do Hospital. Além disso, mostrava a fé do casal realizador da obra, através das esculturas de São Francisco de Paula, Santo Agostinho e o Cristo de braços abertos antes do prédio central.

Nascente do Córrego Belchior

Ponto localizado em frente ao Hospital Augusto de Oliveira Camargo (Av. Francisco Paula Leite, 399).

O abastecimento de água em Indaiatuba também mudou no início do século XX. Havia, próximo ao povoado, duas “aguadas”, onde a população retirava água para consumo próprio. Uma delas é o Chafariz, a outra é a nascente do córrego Belchior. Em 1869, foi feita uma caixa d’água, coberta de tábuas com paredes de pedras forradas de ladrilhos. Os tropeiros pernoitavam no Largo de Santa Cruz, atual Praça Rui Barbosa, e usavam o local como parada para descanso e ponto de reabastecimento de água para as mulas.

Chafariz

Praça Elis Regina, s/n – Vila Sfeir.

O chafariz foi construído no início do século 20. Era utilizado pela população para consumo de água e para a lavagem de roupas. No final da década de 60 e início de 70, passou por uma restauração e está instalado em uma praça arborizada.

Prefeitura Municipal de Indaiatuba

Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, 2800. Fone: (19)3834-9000.
De segunda a sexta das 08h às 17h.
Entrada Gratuita.

Cartão-postal da cidade e símbolo de modernidade, o novo prédio da Prefeitura inaugurado em 2002 possui 7,8 mil metros quadrados de área construída, abrigando a maioria das secretarias municipais. Dispõe de um anfiteatro com capacidade para 350 pessoas e um espaço destinado a exposições e vernissages.

Sítio Bela Vista

Travessa Estrada Mato Dentro, 200. Fone: (19) 3875.1417 / 9792 7832 com Klauss. Visitas com agendamento.

Parte do Polo Turístico do Circuito das Frutas, que inclui Indaiatuba, a propriedade produz e comercializa acerola orgânica.

Sítio São José

Estrada do Fogueteiro, s/nº. Fone: (19) 3885.5355.

Parte do Polo Turístico do Circuito das Frutas, que inclui Indaiatuba, a propriedade cultiva e comercializa morango, café e milho, dispondo ainda de lanchonete.

 

Centros de compras

Shopping Jaraguá – Rua Humaitá – 773 – Fone: (19) 3875-8933.

Pólo Shopping – Alameda Filtros Mann, 670 – Fone: (19) 3835-9000.

Ponto Azul – Shopping Popular – Rua Ademar de Barros, 02 – Fone: (19) 3318-2458.

Center Jeans – Rua Jacob Lyra, 1164 – Fone: (19) 3935-2882.

 

Fonte: maisexpressao.com.br / Prefeitura Municipal de Inadaiatuba

Crédito: Eliandro Figueira

 

 

Sugestões Para Conhecer em Indaiatuba

No Refúgios do Interior você encontra os principais pontos turísticos, hotéis e restaurantes. Faça Agora o seu Roteiro... Programe-se!

Hotel Royal Palm Tower Indaiatuba

Hotel Royal Palm Tower Indaiatuba

Encontre todos os tipos de acomodação de acordo com o seu bolso.

Conhecer
Apiário Itaici Indaiatuba

Apiário Itaici Indaiatuba

Há mais de 30 anos no mercado de Indaiatuba.

Conhecer
Polo Hotel Fazenda

Polo Hotel Fazenda

Desfrute de um ambiente familiar , tranquilo e simples.

Conhecer

Otimize Sua Experiência No Refúgios

Nosso objetivo é que você encontre ONDE COMER, ONDE FICAR e ONDE CONHECER em poucos cliques e em um único site.

Você poderá conhecer a cidade e seus principais Refúgios. Ex: Clique Aqui

Se for visitar uma cidade e desejar conhecer as cidades vizinhas, você pode escolher seus lugares por região, após escolher mostraremos os lugares por categorias. Confira o exemplo

Após criar um login e senha, você poderá marcar seus lugares favoritos que deseja visitar e acessar sempre que desejar.

E olha que incrível! Você poderá criar seu Roteiro de Viagem e selecionar os lugares que pretende visitar com o carrinho. Crie seu Roteiro Agora!

Após realizar sua viagem você poderá fazer upload de suas fotos preferidas, comentar o que achou de cada lugar e dar sua nota. E o melhor, você poderá indicar o roteiro que você fez para seus amigos e ainda, compartilhar sua experiência nas redes sociais. Confira como está ficando o meu Roteiro Gastronômico.

DESEJAMOS UMA ÓTIMA EXPERIÊNCIA E BOA VIAGEM!

Copyrights © 2020 Canvas: Elis Salles
+55 (11) 94543-2136 ·